O melhor da culinária portuguesa

capaportcomida
Ter uma experiência gastronômica em uma viagem internacional, é algo primordial para conhecer os hábitos locais e a cultura do país. Portugal, que por muitos é a terra do bacalhau e da sardinha, vai além da culinária tradicional com seus pratos e doces surpreendendo na cozinha contemporânea. Em 18 dias, pude degustar dos pratos portugueses e dos excelentes doces. De Lisboa ao Porto, selecionei alguns restaurantes desde estrelados do Michein à tradicionais da culinária lusitana. Se você já foi para Portugal, vale relembrar se você já está planejando a viagem, não deixe de comer, e muito, nestes restaurantes. jncJNcQUOI (Lisboa)- O novo point no coração de Lisboa, o JNcQUOI na Avenida Liberdade, não tem só o Velociraptor como atração mas também os pratos assinados pelo chef António Nóia (ex-Rio´s, de Oeiras). O chef reinterpreta pratos clássicos portugueses e internacionais. Uma ótima pedida é começar pelo camarão morno (22€), em seguida a especialidade do chef, o arroz de lavagante e garoupa (32€) e termine com a sericaia com ameixa de Elvas do chef Joaquim Sousa (ex-The Oitavos). jnc2No piso intermediário, o Bar com a capacidade para 42 pessoas tem uma carta própria, assinada também por Bóia. As ostras do Algarve estão em destaque no balcão (seis custam 11€), mas pode também pedir burrata de búfala (17€) ou ceviche de garoupa (15€), saladas, tábuas de queijos e enchidos. Av. da Liberdade 182-184, Lisboa. belc3Belcanto (Lisboa)- Localizado no coração do Chiado e com o menu assinado pelo chef José Avillez, o Belcanto é o lugar aonde a tradicional comida portuguesa ganha uma nova roupagem com as técnicas contemporâneas. É considerado uma das melhores experiências gastronômicas do país. Com um espaço de classicismo renovado, uma cozinha séria e ao mesmo tempo criativa mostrando sempre um absoluto domínio técnico por Avillez. belc2O restaurante 2 estrelas Michelin, tem como carro chefe a entrada "A horta da galinha dos ovos de ouro" (35€), em seguida o "Mergulho no mar"; o prato principal de Robalo com algas e ostras (45€) e para finalizar a sobremesa cítrica de Tangerina (16,50€). Largo de São Carlos 10, Lisboa. fialho1Fialho (Évora)- Localizado no centro histórico de Évora, o restaurante é reconhecido como um dos grandes "templos" da gastronomia portuguesa. Inaugurado em 1948, como uma simples tasca onde já então se serviam pratos e petiscos alentejanos. Além de ser premiado pelo Michelin, o Fialho é divulgador da gastronomia alentejana com receitas típicas da região acompanhadas da excelente carta de vinhos locais. fialho2Com uma entrada, para abastecer muito bem o estômago (polvo, queijos e presuntos regionais, camarões empanados, e muito mais), tem que deixar espaço para o prato principal o Cação de Coentrada (de desmanchar na boca) e para finalizar as tradicionais Queijadas de Évora. $$. Travessa das Mascarenhas 16, Évora. nunes3Solar dos Nunes (Lisboa)- Localizado no bairro de Alcântara, o restaurante foi inaugurado em 1988 pela família Nunes. Traz as raízes alentejanas até à capital do Portugal, com a apresentação de pratos tipicamente portugueses e ambiente intimista e acolhedor. De entrada, o Queijo de Azeitão (5€) (tipico da região) é obrigatório à todos, para o prato principal o Bacalhau à Tia Narcisa (15,50€) é o carro chefe do restaurante e para finalizar o tradicional Leite Creme Queimado (4€)! Rua dos Lusiadas 68, Lisboa. baccoRomaria de Baco (Sintra)- Localizado em pleno centro histórico de Sintra, o restaurante Romaria de Baco foi inaugurado em 2011. Com pratos inspirados na riquíssima gastronomia mediterrânea, e um leque de tapas (petiscos), mais ou menos tradicionais, com um toque contemporâneo assinado pelo chef Pedro Castro. Um atendimento nota 10 com muita simpatia e personalizado (mesmo com a correria e poucas mesas). $. Rua Gil Vicente 2, Sintra. tabernaTaberna dos Mercadores (Porto)- Localizado na Rua dos Mercadores, que desemboca na esquina nascente da Praça da Ribeira, é um restaurante imperdível. O espaço é reduzido em 8 mesas mas na Taberna dos Mercadores, cabe a tradição da boa cozinha e uma experiência única de comunhão e partilha entre cozinheiros, serviço e os clientes. Um lugar cativante, aconchegante e uma tradicional cozinha portuguesa, preparada e servida com gosto, cuidado e elegância. Um lugar singular, uma experiencia unica. taberna1À carta, que inclui entradas tradicionais como bolinhos de bacalhau, salada de polvo, amêijoas à Bulhão Pato ou alheira com grelos, juntam-se as propostas do dia, que surgem divididas entre as “Do Mar” e as “Da Aldeia”. Das primeiras, a oferta passava pela posta de garoupa grelhada (20€), robalo, dourada ou linguado ao sal” (preço variável), salmão grelhado (14€), açorda de mariscos (17,50€), arroz de lavagante (preço variável) e camarão tigre grelhado (26€). belemÉ claro, que eu não podeira terminar este post sem falar dos famosos, e DELICIOSOS, Pastéis de Belém (ou Nata). Em 1837, iniciou-se a fabricação dos tradicionais doces portugueses, em instalações anexas à refinação, segundo a antiga "receita secreta", oriunda do Mosteiro dos Jerónimos. O local que está no bairro de Belém em Lisboa, recebe mais de 5mil clientes por dia! nata2 Atualmente, na maioria dos cafés de Portugal é possível degustar dos pastéis de nata, de fabrico próprio. O Pastel de Belém em Lisboa, é o único que detêm o nome pois é uma patente. Como um doce português, o pastel de nata é também bastante comum no Brasil. Os pastéis de nata são muito populares na China, onde chegaram através de Macau, no tempo da presença portuguesa. Em chinês são chamados de "dan ta" (蛋挞), significando "pastel de ovo". Não é atoa que, todo o mundo AMA e é viciado nos deliciosos Pastéis de Belém. nata3

MORE lifestyle

Duzett District
Copyright ® 2015